Hora do Mamaço 2016

 

Atualização 13.08

Vamos encher o mapa do Brasil com “mudinhas” em todas as cidades?
Cada muda representa uma cidade participante.
Faça a diferença no seu Estado.
Vamos fazer germinar o respeito e apoio incondicional pelo Aleitamento Materno no Brasil!

Você sabe como surgiu “A Hora do Mamaço”?

“A expressão “Mamaço” surgiu na França em 2006, numa reunião de mães que tiveram a ideia de amamentar simultaneamente os seus bebês em um grande encontro nacional e, que originou depois, a Associação Colegiada “La Grande Téttée”.

107081428_o.jpg

Em 2012, na comemoração do 20 Semana Mundial de Aleitamento Materno, o grupo Aleitamento Materno Solidário (AMS Brasil) lança o desafio para as mães de amamentarem os seus bebês, ao mesmo tempo reunindo assim, todas as mães da Comunidade AMS em todo Brasil e mães brasileiras pelo mundo.

Assista o primeiro vídeo do evento: A Hora do Mamaço – 2012

E este desafio passa a ser um grande sucesso! Com mais de 50 cidades participantes e milhares de pessoas envolvidas em todo Brasil e no Mundo, A Hora do Mamaço está, neste ano, na sua 4 edição!

Uma das conquistas mais importantes foi a contribuição para a aprovação da Lei nº 414/2015, que impede que estabelecimentos impeçam mulheres de amamentar em público em vários estados brasileiros como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Veja a menção no The Guardian: São Paulo breastfeeding law would fine those who try to stop nursing mothers

Hoje o caráter do evento é de uma grande Sensibilização Nacional para o Ato de Amamentar, que deve ser visto pela sociedade como Natural e Fundamental e deve ser APOIADO totalmente.

É a força da maternidade explicitada em sua maior prova: imagens que valem mais do que mil palavras!”.

Por Simone De Carvalho

Idealizadora  e Organizadora do movimento “A Hora do Mamaço” para todo o Brasil

NOTA OFICIAL

17odssmam2016

Comunico à todas as cidades e estados participantes do evento “A Hora do Mamaço” de que não haverá orientações gerais para o evento neste ano de 2016.
Contudo, tanto a página oficial aqui no Facebook “ahoradomamaco” quanto ao Blog “horadomamaco.wordpress.com” são espaços permanentes para a divulgação e arquivo de todas as atividades realizadas em nome do evento “A Hora do Mamaço”. Todas as imagens e vídeos produzidos continuarão sendo divulgados nestes links.
A SMAM é um momento único e especial para que continuem existindo comemorações e mobilizações em todo Brasil para mobilizar e sensibilizar a sociedade sobre a importância do Apoio Incondicional à amamentação.
O tema deste ano decidido pela WABA é “Aleitamento Materno: Presente Saudável, Futuro Sustentável”.
Tenho plena convicção que todos os grupos formados em cada estado brasileiro bem como as representantes sempre atuantes e dispostas a promover um evento significativo nas 4 edições do evento (2012,2013,2014,2015) terão ideias maravilhosas sobre o tema e se empenharão para fazer deste momento, um tempo especial na vida das mães e bebês do seu meio.
Com todo amor e carinho pela luta do aleitamento materno em nosso país, desejo que a SMAM deste ano possa ser, mais um vez, um evento inesquecível em todo Brasil.
Por nossos bebês, sempre.
Simone De Carvalho

Participe da Campanha!

12660324_10153900251111703_1163470883_n.jpg

Empodere-se!

“Se existem tantos cuidados para a retirada, armazenamento, pasteurização e controle de qualidade do leite humano, por que não existe indicação de uma mulher amamentar o bebê de outra mulher, se este bebê receberá leite humano, que é o mais indicado para o lactente? A amamentação cruzada é um hábito antigo, da época das amas de leite. As mães deixavam seus filhos totalmente aos cuidados da ama, não só para amamenta-los, mas para cria-los até 10-12 anos de idade, quando sobreviviam. Claro que a grande maioria morria em decorrência de doenças, desnutrição e abandono.

Essa prática ocorria devido a questões culturais da época: uma mãe rica não deveria amamentar nem cuidar dos filhos. Não havia estudos sobre o leite humano, a importância do vínculo ou do desenvolvimento emocional infantil. Muitos bebês morriam por não serem amamentados com frequência, por doenças que eram transmitidas pelas amas de leite ou por diarreia. Hoje, com o desenvolvimento científico sabe-se que essa prática não é adequada. Há indicações para que, na necessidade de complementação da alimentação do lactente, o uso do leite humano seja priorizado, no entanto, este leite é examinado, pasteurizado e com rígido controle de qualidade, para que o lactente receba um leite adequado.

No caso da amamentação cruzada, não há nenhum cuidado ou garantia de que o leite está livre de contaminações, por isso tal prática não é indicada. Por mais que se conheça a mãe, jamais se pode ter certeza de sua condição de saúde. Além disso, o vínculo deve ser estabelecido e mantido com a mãe, com vistas ao desenvolvimento emocional saudável. O bebê reconhece o cheio, o som da voz, o ruído do coração, encontra a mama da mãe que tem uma textura e um tamanho conhecido. Apesar disso, também é um equívoco acreditar que uma mulher pode amamentar o bebê de outra mulher: além da especificidade do leite humano para o seu bebê, existem riscos de transmissão de doenças que não podem ser ignorados. Não é a toa que, no Brasil, a amamentação cruzada é desaconselhada e o leite humano doado ao Banco de Leite passa por testes rigorosos.

De acordo com o Manual Banco de Leite Humano: Funcionamento, Prevenção e Controle de Riscos (BRASIL, 2006), é permitida a administração do leite humano ordenhado cru (sem pasteurização) exclusivamente da mãe para o próprio filho, quando: a) coletado em ambiente próprio para este fim; b) com ordenha conduzida sob supervisão; c) para consumo em no máximo 12 horas, desde que mantida a temperatura máxima de 5 graus Celsius.

O leite humano transmite substâncias essenciais, anticorpos, proteínas adequadas, gorduras na quantidade e qualidade ideais, mas também pode transmitir o HIV, por exemplo. Por isso, a amamentação cruzada, prática muito comum que ainda hoje persiste, deve ser desencorajada. Acreditamos no apoio efetivo à mãe.

O APOIO é maior prova de solidariedade com uma mãe e seu bebê!”

Vejam mais aqui: http://seasmaessoubessem.com.br/…/cuidados-no-armazenament…/

De Peito ABERTO

DE PEITO ABERTO será um documentário colaborativo sobre amamentação, feito com muitas mãos para muitas mães.

Participe e faça a sua doação!

DE PEITO ABERTO acompanhará cinco mulheres durante os seis primeiros meses de vida de seus filhos. Elas terão o desafio de alimentá-los exclusivamente de leite materno, como recomenda a Organização Mundial da Saúde.

E você, que fizer uma doação, ajudará a escolher as mães que serão acompanhadas. Os benfeitores poderão indicar e votar.

Sabemos que o ambiente do aleitamento é complexo. Há inúmeras armadilhas e interesses por trás do desmame precoce. Nosso objetivo é registrar, na prática, os obstáculos que as mães enfrentam para oferecer amamentação exclusiva – e como elas os superam.

Será uma obra poética sobre a relação entre mães e bebês. Mas também um documentário informativo que nos ajude a entender por que o tempo de aleitamento materno exclusivo é tão baixo no Brasil, de apenas 54 dias.

Escolhemos o financiamento coletivo para garantir a autonomia e a integridade do conteúdo. Mais de 100 pessoas já contribuíram e assim estão ajudando as mães a trocarem experiências e apoio.

Mas ainda é pouco. O filme só existirá se atingirmos a meta de arrecadar R$ 67.500 em doações até o dia 13 de dezembro.

Do contrário, os benfeitores receberão o dinheiro de volta e não haverá filme (leia mais abaixo sobre financiamento e prestação de contas).

Se você apoia a amamentação e quer DE VERDADE que esse documentário exista, escolha agora a sua recompensa e faça uma doação.

Qualquer dúvida, entre em contato com a gente.

Muito obrigada!

Graziela Mantoanelli, atriz e produtora cultural

depeitoaberto.ofilme@gmail.com

O FILME

Intimista e engajado, o documentário contará histórias de mães enfrentando obstáculos pessoais, sociais e familiares para conseguir oferecer exclusivamente amamentação nos 6 primeiros meses de vida da criança. É um filme dedicado à maternidade.

A ideia é revelar aspectos culturais, socioeconômicos, de saúde e bem estar ligados ao tema, e também as ferramentas e informações disponíveis por cada uma para superar as dificuldades.

CONTEÚDO

PERSONAGENS – Cinco mães com questões relacionadas à amamentação: solidão, sofrimento, culpa, responsabilidade – tudo isso atrelado aos sentimentos de amor supremo, vínculo incondicional e aconchego.

ESPECIALISTAS – Médicos pediatras, psiquiatras, psicólogos e nutricionistas serão consultados conforme as questões que surgirem no próprio filme.

TEMAS – Blocos temáticos aprofundarão questões como a da licença obrigatória de apenas quatro meses (quando a ONU recomenda ao menos seis), a do suporte à amamentação em horário de trabalho, a da vida produtiva da mulher e a da amamentação em locais públicos.

EQUIPE

DE PEITO ABERTO foi idealizado pela atriz Graziela Mantoanelli e logo recebeu a adesão da apresentadora Chris Nicklas (Amamentar É).

Junto com o diretor Leonardo Brant, formou-se uma equipe com Iana Paro (roteiro), André Albuquerque (direção de fotografia), José Sampaio (montagem e finalização), Marcio Arantes (trilha sonora), Isadora Canto (música tema original), Carlos Gonzalez (pesquisa), Regina Mizuno (design) e Gabriela Trevisan (fotografia).

O pessoal da Taturana Mobi (Livia Almendary e Carol Misorelli) fará a mobilização social e a distribuição do filme por todo país, em sessões gratuitas em salas de cinema alternativas, seguidas de debate.

MOBILIZAÇÃO

Há muitas maneiras de participar do desenvolvimento deste filme.

Nossa ideia é fazer um grande mapeamento das iniciativas, organizações e comunidades que trabalham por essa causa. A sua ajuda divulgando essa campanha agora e depois que o filme estiver pronto também é muito valiosa.

A mobilização social começa com a presente campanha de financiamento coletivo, passa por um processo colaborativo de produção até a distribuição gratuita, em salas de cinema alternativas seguidas de debate, sessões em casas de parto, associações e movimentos pró-amamentação espalhadas por todo o país, além dos meios televisivos e plataformas digitais.

FINANCIAMENTO

Os recursos arrecadados por essa camapanha de financiamento coletivo vão custear a equipe do projeto.

Na primeira meta, vamos remunerar o diretor de fotografia, a trilha sonora, o montador e o trabalho de mobilização social. A segunda meta garantirá o roteiro, música original e design. Na terceira garantiremos reforço de pesquisa, produção e distribuição.

A equipe idealizadora do projeto, composta por produtora executiva, diretor e apresentadora, só serão remunerados a partir da quarta meta, quanto iremos reforçar nossa comunicação.

Nossa intenção é disponibilizar o produto para um número cada vez maior de pessoas. Queremos chegar às telas de cinema, de TV, plataformas digitais e de video on demand. O eventual licenciamento do produto servirá para complementar os custos acima descritos. Ao final da produção, os financiadores receberão um relatório para acompanhar, com transparência, como seu dinheiro foi investido.

FAÇA JÁ A SUA DOAÇÃO!

DOE

11224574_1750996371800287_5517907237842974055_n.jpg